SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIRURGIÕES-DENTISTAS FITOTERAPEUTAS


Dia 06/06/2008 - Dia Histórico para a Fitoterapia Brasileira

Nos dias 5 e 6 de junho de 2008 foi realizado em Brasília o Fórum Nacional de Práticas Integrativas e Complementares à Saúde Bucal, promovido pelo Conselho Federal de Odontologia, com o objetivo de discutir sobre a regulamentação do exercício da acupuntura, fitoterapia, florais, hipnose, homeopatia e laserterapia na odontologia. O evento contou com a participação de cirurgiões-dentistas de todos os estados brasileiros, que foram inscritos por grupos de discussão representativos de cada área.

Durante a Plenária Final do evento, realizada na tarde do dia 06.06.08, foi aprovada a prática da fitoterapia na odontologia, criando-se ainda as normas para a habilitação dos cirurgiões-dentistas fitoterapeutas junto ao CFO.

Após intensas discussões durante o Fórum Nacional de Práticas Integrativas e Complementares à Saúde Bucal, na tarde do mesmo dia 06/06/2008, deixamos claro para todos os participantes do grupo da fitoterapia a nossa posição a favor da criação de uma nova especialidade odontológica, a FITODONTOLOGIA. E aproveitando a oportunidade, em que pela primeira vez se encontravam em nível nacional alguns dos cirurgiões-dentistas que já exercem ou lidam ou se interessam pela fitoterapia, deixamos como proposta a criação da Sociedade Brasileira de Cirurgiões-Dentistas Fitoterapeutas (SBCDFITO) ou Associação Brasileira de Cirurgiões-Dentistas Fitoterapeutas (ABCDFITO) ou Sociedade Brasileira de Fitodontologia (SOBRAFITODONTO) ou outro nome ainda a ser escolhido, uma entidade de âmbito nacional, que nasceria com o objetivo de fortalecer a prática da fitoterapia na odontologia, bem como a atuação dos cirurgiões-dentistas fitoterapeutas junto à classe odontológica e à sociedade brasileira em geral.

Dia 25/09/2008 - CFO Reconhece e Regulamenta o Uso da Fitoterapia na Odontologia

Com a Resolução CFO nº 82/2008, aprovada em 25/09/2008, o Conselho Federal de Odontologia reconheceu e regulamentou o uso das práticas integrativas e complementares à saúde bucal, dentre elas a FITOTERAPIA. E em seu Anexo foram definidas as normas para a habilitação dos cirurgiões-dentistas fitoterapeutas junto ao CFO.

Em vista disso, já estamos contactando e convidando todos os cirurgiões-dentistas fitoterapeutas habilitados junto ao CFO para juntos criarmos a SBCDFITO ou ABCDFITO ou SOBRAFITODONTO,, como queiram.

Os colegas que quiserem participar dessa empreitada, gentileza entrar em contato com o Prof. Fábio Correia Sampaio, coordenador do Grupo de Estudo de Fitoterapia Aplicada à Odontologia (GEFAO)/Universidade Federal da Paraíba, pelo e-mail fabio.sampa@uol.com.br

Os cirurgiões-dentistas habilitados em fitoterapia junto ao CFO, até o momento, são:

BEATRIZ DE BITTENCOURT GROTZNER

Município: CURITIBA - PR
Inscrição CRO: PR-CD-3604
Cadastro no CFO: 18/08/1981

CARLOS ALBERTO DE MOURA ROSA

Município: SAO PAULO - SP
Inscrição CRO: SP-CD-36703
Cadastro no CFO: 24/05/1988

CARMEN SILVIA DE C. ANNUNCIATO LIMA VERDE

Município: SOROCABA - SP
Inscrição CRO: SP-CD-29646
Cadastro no CFO: 21/01/1985

CELIA REGINA LULO GALITESI

Município: SAO PAULO - SP
Inscrição CRO: SP-CD-34251
Cadastro no CFO: 21/04/1987

CLEIDE LEILA ALVES FAGUNDES

Município: PORTO ALEGRE - RS
Inscrição CRO: RS-CD-5705
Cadastro no CFO: 04/05/1981

EDILMAR MARCELINO

Município: BAURU - SP
Inscrição CRO: SP-CD-73842
Cadastro no CFO: 07/06/2002

ELEUZA REGINA BENITES DE MORAIS

Município: PORTO ALEGRE - RS
Inscrição CRO: RS-CD-10755
Cadastro no CFO: 09/12/1971

FABIO CORREIA SAMPAIO

Município: JOAO PESSOA - PB
Inscrição CRO: PB-CD-2158
Cadastro no CFO: 13/05/1987

HILMARA DE QUEIROZ ARAUJO BATISTA

Município: TAGUATINGA - DF
Inscrição CRO: DF-CD-3785
Cadastro no CFO: 18/09/1995

IRINEU GREGNANIN PEDRON

Município: SAO PAULO - SP
Inscrição CRO: SP-CD-62109
Cadastro no CFO: 08/11/2001

ITAMAR FRANCISCO TEIXEIRA

Município: LINHARES - ES
Inscrição CRO: SP-CD-49602
Cadastro no CFO: 23/06/1994

MARCELO BERLA MENDES

Município: SAO PAULO - SP
Inscrição CRO: SP-CD-58200
Cadastro no CFO: 19/11/1997

MARCO ANTONIO HUDSON DE SOUZA

Município: BELO HORIZONTE - MG
Inscrição CRO: MG-CD-4309
Cadastro no CFO: 22/10/1974

MARCOS MARTINS FREI

Município: SANTOS - SP
Inscrição CRO: SP-CD-33500
Cadastro no CFO: 29/10/1986

MARIA CARMELI CORREIA SAMPAIO

Município: JOAO PESSOA - PB
Inscrição CRO: PB-CD-542
Cadastro no CFO: 15/12/1975

MARIA DE LOURDES NUNES DA SILVA

Município: BENTO GONCALVES - RS
Inscrição CRO: RS-CD-7139
Cadastro no CFO: 14/05/1986

MARIA HELENA GARCIA LEHNEMANN

Município: FLORIANOPOLIS - SC
Inscrição CRO: SC-CD-4077
Cadastro no CFO: 04/06/1970 

NILMA NORONHA HUCK

Município: SEM ENDERECO VALIDO -
Inscrição CRO: SP-CD-45937
Cadastro no CFO: 26/08/1992

ORLEY DULCETTI JUNIOR

Município: SAO PAULO - SP
Inscrição CRO: SP-CD-25614
Cadastro no CFO: 28/01/1983

PERSIO LEITE DE SOUZA

Município: JACAREI - SP
Inscrição CRO: SP-CD-32993
Cadastro no CFO: 21/07/1986

RAFAEL GUERRA LUND

Município: PELOTAS - RS
Inscrição CRO: RS-CD-14981
Cadastro no CFO: 09/04/2007

ROGERIO CAVALCANTE SILVA

Município: RIO BRANCO - AC
Inscrição CRO: AC-CD-65
Cadastro no CFO: 25/01/1988

SANDRA MARIA CARVALHAL BERLA

Município: SÃO PAULO - SP
Inscrição CRO: SP-CD 15702
Cadastro no CFO: 20/09/1977

SOLANGE APARECIDA NOGUEIRA BATAGLION

Município: Sem endereço
Inscrição CRO: SP-CD 58458
Cadastro no CFO: 06/02/1998

VITOLDO ANTONIO KOZLOWSKI JUNIOR

Município: PONTA GROSSA - PR
Inscrição CRO: PR-CD-5521
Cadastro no CFO: 15/08/1986

WALTER AUGUSTO NUNO DA SILVA

Município: SALVADOR - BA
Inscrição CRO: BA-CD-167
Cadastro no CFO: 26/09/1963

YOLANDA LOPES DA SILVEIRA

Município: PORTO ALEGRE - RS
Inscrição CRO: RS-CD-3574
Cadastro no CFO: 31/07/1974

Fonte:
http://www.cfo.org.br


Entidades Relacionadas à Fitoterapia

ABMC - Associação Brasileira de Medicina Complementar
www.medicinacomplementar.com.br
ABFIT/IBPM - Instituto Brasileiro de Plantas Medicinais www.ibpm.org.br
ABIFRA - Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Essenciais, Produtos Químicos Aromáticos, Fragrâncias e Afins www.abifra.org.br
Associação Brasileira de Fitoterapia
www.abfit.org.br
ABRAPHYTO - Associação Brasileira de Fitoterapia
www.fitoterapia.com.br
Associação Brasileira de Fitomedicina
CONBRAFITO - Conselho Brasileiro de Fitoterapia
www.fitoterapia.com.br
FEBRAPLAME - Federação Brasileira das Associações de Pesquisa com Plantas Medicinais

IIMH - The Irish Institute of Medical Herbalists
www.iimh.org
INBRAFITO - Instituto Brasileiro de Fitoterapia inbrafito@yahoogrupos.com.br
New Zealand Association of Medical Herbalists
www.nzamh.org.nz
NIMH - National Institute of Medical Herbalists
www.nimh.org.uk
SBF - Sociedade Brasileira de Fitopatologia
www.sbfito.com.br
SBFgnosia - Sociedade Brasileira de Farmacognosia
www.sbfgnosia.org.br
SBPM - Sociedade Brasileira de Plantas Medicinais
http://sbpmed.org/index.html
SOBRAFITO - Associação Médica Brasileira de Fitomedicina
www.sobrafito.com.br
Sociedade Botânica do Brasil
Sociedade Brasileira de Horticultura
Sociedade Brasileira de Química
Sociedade Brasileira de Etnobotânica e Etnobiologia
Sociedade Brasileira de Farmacologia e Terapêutica Experimental
Sociedade Catarinense de Plantas Medicinais

Universidades, Instituições e Centros de Pesquisa Relacionados à Fitoterapia


1. CASA DO ESCRITOR ROGÉRIO CAVALCANTE

Prof. Rogério Cavalcante Silva
rogeriocavalcante@odontopoesia.com

Professor do Curso de Especialização em Saúde Pública da UNINORTE/AC

Autor dos livros: "As Plantas na Odontologia"
                          "Plantas da Amazônia na Saúde Bucal"
                          "Vigilância Sanitária - Do Comércio de Plantas Medicinais e Fitoterápicos"

                           "Fitodontologia"

Pesquisa "Odontologia e os índios da Amazônia"

Pesquisa "Plantas medicinais e saúde bucal na visão dos raizeiros, cirurgiões-dentistas e usuários do SUS de Rio Branco/AC."

Pesquisa "Vigilância sanitária e o comércio de plantas medicinais e fitoterápicos"


2. INSTITUTO KVT www.kvt.org.br

3. MINISTÉRIO DA SAÚDE
www.saude.gov.br

4. PLANTARUM - Instituto Plantarum www.plantarum.com.br
Jardim Botânico Plantarum www.plantarum.org.br
Prof. Harri Lorenzi

5. UFAM - Universidade Federal do Amazonas
Prof. Valdir Florêncio Veiga Jr.
Profª Nikeila Costa
Profª Fulgência Bandeira
Profª Ângela Garrido
*Pesquisam a ação antimicrobiana do óleo de copaíba e do jucá.

6. UFC - Universidade Federal do Ceará
Projeto Farmácias Vivas
Prof. Francisco José de Abreu Matos

7. UFPA - Universidade Federal do Pará
Profª Danielle Emmi
*Pesquisou e patenteou um evidenciador de placa bacteriana obtido a partir do açaí.

8. UFPB - Universidade Federal da Paraíba
GEFAO - Grupo de Estudo de Fitoterapia Aplicada à Odontologia
Prof. Fábio Correia Sampaio
Profª Maria Carméli Correia Sampaio

9. UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina
Prof. João Batista Calixto
*Pesquisou a ação anti-inflamatória da erva-baleeira, o que resultou no produto fitoterápico ACHEFLAN.

10. UNICAMP - Universidade de Campinas
CPQBA - Centro de Pesquisas Químicas, Biológicas e Agrícolas
www.cpqba.unicamp.br

Faculdade de Odontologia da Universidade Estadual de Campinas
Prof. Francisco Carlos Groppo

11. UNIFESP - Universidade Federal de São Paulo
Escola Paulista de Medicina
Prof. Elisaldo Carlini
*Pesquisa e escreve sobre o uso medicinal da maconha.

12. UNIMES - Universidade Metropolitana de Santos
Profª Sandra Kalil Bussadori
*Pesquisou a ação da papaína sobre o tecido cariado, o que resultou no produto PAPACÁRIE.

13. Universidade Tiradentes (Aracaju/SE)
Prof. Lauro Xavier-Filho (autor do livro "A fitoterapia no combate às afecções bucais")

14. USP - Universidade de São Paulo

CIAGRI - Centro de Informática em Agricultura
www.ciagri.usp.br

Sites Relacionados à Fitoterapia


http://plantas-medicinais.me
www.arvores.brasil.com.br

www.botanical.com

www.botanicamedica.co.uk
www.cantoverde.org
www.fitoterapica.com.br
www.fuceina.net/fitoterapia
www.herbalisthealth.com
www.herbario.com.br
www.hort.purdue.edu
www.ibiblio.org
www.jardimdeflores.com.br
www.jardineiro.net
www.manipulatum.com.br
www.medplant.net
www.missouriplants.com
www.mobot.org
www.multivegetal.com.br
www.odontopoesia.com
www.phitoherb.com
www.plantamed.com.br
www.planetamedicinal.hpg.ig.com.br
www.plantarum.com.br
www.plantascurativas.wordpress.com
www.plantaservas.hpg.ig.com.br
www.plantasmedicinais.com
www.plantasquecuram.com.br
www.plants.usda.gov
www.plantzafrica.com
www.portalamazonia.locaweb.com.br
www.rain-tree.com
www.renorbio.org.br
www.ruralnet.com.br
www.saudealternativa.org
www.swsbm.com
www.TudoSobrePlantas.com.br
www.uesc.br/projetos
www.umbuzeiro.cnip.org.br


Revistas e Jornais Relacionados à Fitoterapia

AJMH - Australian Journal of Medical Herbalism
www.mhaa.org.au
Medical Herbalism
www.medherb.com
Revista Brasileira de Farmacognosia
Revista Brasileira de Plantas Medicinais

Laboratórios de Produtos Fitoterápicos

Herbarium Laboratório Botânico
www.herbarium.net
Laboratório Fitoterápico Panizza
www.panizza.com.br

Cursos de Especialização em Plantas Medicinais/Fitoterapia

1.HMA - Hospital de Medicina Alternativa
www.hma.goias.gov.br
2.PUCPR - Pontifícia Universidade Católica do Paraná
www.pucpr.br
3.UFLA - Universidade Federal de Lavras
www.ufla.br
4.UFPE - Universidade Federal de Pernambuco
www.ufpe.br
5.UNIARARAS - Universidade de Araras
www.uniararas.br


AS PLANTAS NA ODONTOLOGIA

Após 26 anos de formado em odontologia, justamente 26 anos de Acre, são também 26 anos estudando, escrevendo e de alguma forma tentando colocar em prática as plantas na odontologia.

Em 1986, na cidade acreana de Manuel Urbano, na fronteira do Acre com o Peru, ainda recém-formado, começamos a estudar, pesquisar e trabalhar com as plantas medicinais. Dentro do Hospital de Manuel Urbano criamos um canteiro medicinal e, ainda em 1986, elaboramos uma apostila com as principais plantas medicinais usadas na região.

Em 1997 publicamos o nosso primeiro artigo científico, no Jornal da APCD, com o título Odontologia e os índios da Amazônia, onde já abordávamos sobre a utilização das plantas medicinais pelos povos indígenas e seringueiros da região.

Já nos especializamos em Odontologia em Saúde Coletiva pela UnB, onde apresentamos a monografia AS PLANTAS NA ODONTOLOGIA. Com este mesmo título já publicamos um artigo científico no Jornal do CRO/AC.

Em 2004 lançamos uma proposta a nível nacional e mundial para adoção da planta cravo-da-índia como a planta símbolo da odontologia. Esta proposta continua circulando pelo mundo a fora e está em todos os meus trabalhos que versam sobre a matéria.

E no dia 29.10.07, finalmente, após 21 anos de muito estudo e pesquisa, muitas horas de máquina de escrever e de pc, durante a solenidade de abertura da I Jornada de Odontologia do Acre, na UNINORTE, também fizemos o lançamento da primeira edição do nosso livro AS PLANTAS NA ODONTOLOGIA.

Uma solenidade que contou com a presença dos acadêmicos do curso de graduação em odontologia da UNINORTE, muitos cirurgiões-dentistas, com toda a Diretoria do CRO/AC e com o Coordenador Nacional de Saúde Bucal do MS, CD Gilberto Pucca.

Em junho de 2008 participamos em Brasília do Fórum Nacional de Práticas Integrativas e Complementares à Saúde Bucal, promovido pelo Conselho Federal de Odontologia, defendendo a prática da fitoterapia na odontologia e divulgando a utilização das plantas na odontologia. Nesse mesmo Fórum apresentamos proposta para os participantes do grupo da Fitoterapia de criação de uma sociedade para congregar todos os cirurgiões-dentistas fitoterapeutas (Sociedade Brasileira dos Cirurgiões-Dentistas Fitoterapeutas/SBCDFITO ou Associação Brasileira dos Cirurgiões-Dentistas Fitoterapeutas/ABCDFITO ou Sociedade Brasileira de Fitodontologia/SOBRAFITODONTO), bem como defendemos também a criação de uma nova especialidade odontológica, a FITODONTOLOGIA.

Em julho de 2008, por ocasião do XVI Congresso Brasileiro de Estomatologia realizado em Fortaleza, fizemos o lançamento oficial da 2ª edição do nosso livro AS PLANTAS NA ODONTOLOGIA e onde pudemos divulgar mais uma vez a fitoterapia na odontologia.

Em outubro de 2008 participamos da 2ª Jornada de Odontologia do Acre, divulgando a 2ª edição do nosso livro AS PLANTAS NA ODONTOLOGIA.

Em maio de 2009 obtivemos a nossa HABILITAÇÃO EM FITOTERAPIA pelo Conselho Federal de Odontologia.

Em outubro de 2009 participamos da 3ª Jornada de Odontologia do Acre, onde fizemos uma palestra sobre o uso das plantas medicinais na odontologia.

Em outubro de 2010 publicamos a 1ª edição do livro PLANTAS DA AMAZÔNIA NA SAÚDE BUCAL.

Em julho de 2011 publicamos a 1ª edição do livro VIGILÂNCIA SANITÁRIA: DO COMÉRCIO DE PLANTAS MEDICINAIS E FITOTERÁPICOS, a primeira obra de vigilância sanitária sobre essa matéria.

Em outubro de 2011 publicamos a 2ª edição do livro PLANTAS DA AMAZÔNIA NA SAÚDE BUCAL.

Estamos também divulgando a ideia de criação, por parte do governo federal, de uma Agência Nacional Reguladora de todas as matérias relacionadas às plantas no país. Com os argumentos abaixo:

AGÊNCIA NACIONAL DAS PLANTAS

A Portaria Interministerial nº 2.960, de 9 de dezembro de 2008, que instituiu o Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos, também criou o Comitê Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos. Esse Comitê é constituído por representantes de vários Ministérios e órgãos da administração federal relacionados à questão das plantas medicinais. Fazem parte também desse Comitê representantes de organizações da sociedade civil, inclusive de sociedades científicas da área de plantas medicinais, de profissionais de saúde, de universidades e de pesquisadores ligados aos vários biomas existentes no país.

Até aí está tudo perfeito, mais uma medida acertada do governo federal, porém, esse Comitê possui caráter apenas científico, orientador, para proposição de normas e diretrizes para o setor. Não é um órgão executor de medidas aprovadas. A meu ver, é urgente que se crie um órgão federal, de caráter executivo, supraministerial e subordinado ao governo federal, que congregue todas as ações de todos os outros órgãos federais já existentes que de uma forma ou de outra já executam algum tipo de ação no campo das plantas medicinais, aromáticas, biocidas, cosméticas, condimentares e alimentícias.

Assim como já temos a Agência Nacional do Petróleo (ANP), a Agência Nacional das Águas (ANA), dentre outras, por que não poderemos ter uma Agência Nacional das Plantas (ANAPLANTAS ou ANPLANTAS)?

Essa futura Agência Nacional das Plantas teria sua sede nacional em Brasília e escritórios de representação em todas as capitais brasileiras, atendendo a todos os biomas nacionais. Essa Agência poria em prática um Plano Nacional nos moldes do que propomos mais adiante.

A maior riqueza da Amazônia está na sua biodiversidade, principalmente na quantidade enorme de plantas medicinais, aromáticas, cosméticas, condimentares e alimentícias existentes em sua rica flora. Tenho sempre repetido isso por onde passo, porque tenho certeza que isso está gerando muito dinheiro, pois se assim não o fosse, não haveria esse monte de gringos passeando por entre as nossas matas, circulando em nossas aldeias indígenas e reservas florestais; não haveria esse monte de empresas multinacionais correndo atrás de patentear os nossos produtos amazônicos! Estou mostrando isso, para que o amigo tenha a noção exata do que o nosso país está deixando de arrecadar e conquistar! E nós, os amazônidas, continuamos pobres como sempre, derrubando coco ouricuri e comendo carne de macaco!

Existem vários produtos fabricados em países estrangeiros a partir de nossas plantas amazônicas. Existem até mesmo algumas empresas nacionais, que vêm para a Amazônia só para se apropriar do conhecimento de nossos caboclos e depois vão embora. Por que a NATURA não se instala na Amazônia? O BOTICÁRIO, por exemplo, em vários de seus produtos, como a linha de desodorante masculino DIMITRI, contém a essência cumarina, extraída do cumaru, uma planta amazônica. E por que essa empresa também não se instala na Amazônia? Já enviei alguns e-mails para os dirigentes do HERBÁRIO LABORATÓRIO BOTÂNICO, tentando mostrar a importância de termos laboratórios de produtos farmacológicos instalados na Amazônia, convidando-os para vir ao Acre, que tem uma flora com plantas de valor econômico comprovado. Mas que nada! Não vêm mesmo.

E aí o campo fica aberto para as empresas de fora. Existem algumas plantas amazônicas que fazem muito sucesso lá fora, rendem milhões de dólares na Europa, Japão, Austrália, Nova Zelândia, Estados Unidos e que nem mesmo nós, os amazônidas, as conhecemos direito. Sabemos que elas existem nas matas, porém existem empresas no Brasil, principalmente no Pará e Amazonas, que se especializaram em comprar todo o estoque dessas plantas, não fica nada mesmo nos mercados e feiras, sequer para que as conheçamos direito, qual a cor e o cheiro de seus frutos! Compram tudo e já têm as empresas certas para onde exportar.

A planta CUMARU é uma delas. No Acre ela é bem conhecida, mas até onde eu sei, ela só é utilizada mesmo para produção de madeira e móveis. É uma madeira nobre. Pois não é que as suas favas são coletadas nas matas do Pará e Amazonas, principalmente, para a produção da essência cumarina? Na verdade as empresas instaladas no Pará e Amazonas compram todas as favas de cumaru que aparecem e as mandam sem nenhuma transformação para a Europa, para as indústrias de perfumes e, inclusive, para empresas ligadas ao ramo de alimentos! Segundo informações que recebi recentemente, o cumaru é a sensação do momento na França, Suíça, Alemanha e Estados Unidos, usado no preparo de doces, sorvetes, bolos, etc., tudo com o cheiro do nosso cumaru!

Mas, fazer o quê? É isso mesmo! Falta-nos estudo, tecnologia, visão e dar valor ao que é nosso!

Na mesma situação do cumaru, existem muitas outras plantas amazônicas que são alvo da biopirataria. Acreditamos que com a criação de uma Agência Nacional para regular todas as questões relacionadas às plantas, esse tipo de situação deixe de acontecer em nosso país.

Se você quiser dar a sua opinião sobre esse assunto, é só me enviar o texto para o meu e-mail que eu publicarei aqui.


Dias 27 e 28/10/2011 - Foi realizado o I ENPICSB em Brasília

I ENPICSB
I ENCONTRO NACIONAL DAS PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES à SAÚDE BUCAL

O CRO/DF promoveu nos dias 27 e 28/10/2011 o 1º Encontro Nacional das Práticas Integrativas e Complementares à Saúde Bucal.
Estivemos presente a esse evento como palestrante, onde apresentamos o tema "PLANTAS DA AMAZÔNIA NA SAÚDE BUCAL"

Apesar de concordarmos que estamos conseguindo alguns avanços, tanto a nível de Ministério da Saúde, como no âmbito do Conselho Federal de Odontologia, no que se refere à incorporação da Fitoterapia na prática odontológica, NÃO CONCORDAMOS COM A FORMA COMO A FITOTERAPIA TEM SIDO TRATADA EM NOSSO PAÍS, ou seja, apenas como uma "prática integrativa e complementar". Anteriormente, ela era tratada como uma PRÁTICA ALTERNATIVA e hoje é uma PRÁTICA INTEGRATIVA E COMPLEMENTAR. A nosso ver, ambos os conceitos não são corretos, pois defendemos que a mesma seja INTEGRATIVA sim, mas nem ALTERNATIVA nem COMPLEMENTAR. Ela precisa se tornar MATÉRIA OBRIGATÓRIA nos cursos de formação superior da área da saúde. Somos da opinião de que ela deva ser uma DISCIPLINA à parte, com conteúdo de Botânica, Fitoquímica e Fitoterapia Clínica, com aulas teóricas e práticas.

Além de defendermos a inclusão da FITOTERAPIA no ensino regular de Medicina, Odontologia e Farmácia, por exemplo, defendemos ainda a criação da especialidade odontológica FITODONTOLOGIA, para aqueles profissionais que desejarem se aprofundar na área, tornando-se ESPECIALISTAS, galgando assim novos horizontes, como professor ou como cirurgião-dentista fitoterapeuta do SUS, por exemplo. 


Em julho de 2012 obtivemos o título de ESPECIALISTA EM PLANTAS MEDICINAIS, após conclusão de curso de especialização promovido pela Universidade Federal de Lavras, em Minas Gerais.

Ainda em 2012 publicamos os livros "CRAVO-DA-ÍNDIA: PLANTA SÍMBOLO DA ODONTOLOGIA" e "AMAZÔNIDAS."

Em 2013 demos aula no Curso de Farmácia da FAMETA, em Rio Branco/AC, sobre plantas medicinais e onde divulgamos os livros "AS PLANTAS NA ODONTOLOGIA"  e "VIGILÂNCIA SANITÁRIA: DO COMÉRCIO DE PLANTAS MEDICINAIS E FITOTERÁPICOS."

Em julho de 2013 participamos da FLIP 2013, em Paraty, onde divulgamos os livros AS PLANTAS NA ODONTOLOGIA e AMAZÔNIDAS.

Em novembro de 2013 publicamos a 1ª edição do livro FITODONTOLOGIA.

E os nossos sonhos não param por aqui. Já estamos trabalhando em outros projetos inéditos relacionados à utilização de plantas medicinais na odontologia.


Rogério Cavalcante

Rio Branco-Acre



DEFINIÇÕES IMPORTANTES



Com base na RDC ANVISA Nº 14, de 31 de março de 2010, é importante que saibamos os seguintes conceitos:


Planta medicinal - é qualquer espécie vegetal, cultivada ou não, utilizada com propósitos terapêuticos. Apresenta-se na forma in natura (fresca) ou na forma seca, dessecada (droga vegetal).

Droga vegetal - é a planta medicinal, ou suas partes, que contenham as substâncias, ou classes de substâncias, responsáveis pela ação terapêutica, após os processos de coleta, estabilização, quando aplicável, e secagem, podendo estar na forma íntegra, rasurada, triturada ou pulverizada.

Derivado vegetal - é o produto da extração da planta medicinal in natura ou da droga vegetal, podendo ocorrer na forma de extrato, tintura, alcoolatura, óleo fixo, óleo volátil, cera, exsudato, leite, sumo e outros.

Matéria-prima vegetal - compreende a planta medicinal in natura, a droga vegetal ou o derivado vegetal.

Fitoterápicos - são medicamentos obtidos exclusivamente de plantas medicinais, da planta inteira ou de suas partes ou de seus extratos e são usados com o propósito de cura. Segundo a norma sanitária hoje em vigor no país (RDC ANVISA nº 14/2010), fitoterápico é omedicamento obtido empregando-se exclusivamente matérias-primas ativas vegetais. É caracterizado pelo conhecimento da eficácia e dos riscos de seu uso, assim como pela reprodutibilidade e constância de sua qualidade. Sua eficácia e segurança são validadas através de levantamentos etnofarmacológicos, de utilização, documentações tecnocientíficas em publicações ou evidências clínicas. Não se considera medicamento fitoterápico aquele que, na sua composição, inclua substâncias ativas isoladas, sintéticas ou naturais, de qualquer origem, nem as associações destas com extratos vegetais”.

Fitofármaco - é a substância ativa isolada, obtida de matérias-primas vegetais ou pode ser ainda a mistura de substâncias ativas de origem vegetal.

Fitomedicamentos - são todos os medicamentos em cuja composição existem princípios ativos vegetais. Portanto, os fitoterápicos, os fitofármacos e os produtos farmacológicos semi-sintéticos são fitomedicamentos.

Fitocomplexo - é o conjunto de substâncias originadas no metabolismo primário e/ou secundário responsáveis pelos efeitos biológicos de uma planta medicinal ou de seus derivados.

FITODONTOLOGIA

Ainda existe um grupo de cientistas e pesquisadores brasileiros que discordam da criação da especialidade odontológica FITODONTOLOGIA, alegando que no Brasil há poucos produtos obtidos a partir de plantas medicinais que são comercializados em farmácias, drogarias e lojas especializadas com indicações na odontologia. Alegam ainda que no Brasil há pouca pesquisa nessa área e que são poucas as plantas medicinais brasileiras com estudo de sua comprovação científica.

Ora, faço parte do grupo que defende há anos a criação da FITODONTOLOGIA como especialidade, uma vez que a compreendemos como um campo da ciência de abrangência mundial, ou seja, ninguém se forma fitoterapeuta para aplicar somente as plantas medicinais brasileiras, ou norte-americanas, ou chinesas, ou indianas, etc. A FITODONTOLOGIA deve ser entendida como uma parte da FITOMEDICINA que utiliza de forma científica e segura as plantas medicinais, as drogas vegetais ou os produtos farmacológicos delas obtidos para prevenir e tratar doenças do campo de ação da odontologia. Nesse sentido, devemos saber que, embora a quantidade de produtos fitoterápicos produzidos no Brasil e o número de pesquisas em nosso país nessa área ainda seja muito pequeno, a fitoterapia já está muito avançada em países como a Alemanha, França, Estados Unidos, Japão, Canadá, China, Índia, etc. Já existem vários fitoterápicos, fitofármacos, semissintéticos nas prateleiras das drogarias do mundo inteiro, disponíveis para a prescrição por parte dos profissionais que podem prescrevê-los. A quantidade de pesquisas com plantas medicinais nesses países citados é imensa e já existem inúmeros medicamentos obtidos a partir de plantas medicinais que já tiveram seus estudos pré-clínicos e clínicos comprovados cientificamente.

O medicamento ANTISTAX é um exemplo. O livro FITODONTOLOGIA, que em breve estará à venda neste site, portanto, aborda apenas as plantas medicinais que já dispõem de comprovação científica de seus usos na odontologia. Nele citamos inúmeros medicamentos já existentes no mercado nacional, norte-americano, alemão, chinês, indiano, francês, japonês, canadense, russo, dentre outros. Os medicamentos comercializados no Brasil vêm, inclusive, com o seu número de registro no MS/ANVISA.

Contribuímos, assim, mais uma vez, para a evolução da Odontologia em nosso país.

ANTISTAX
  
O PODER DA UVA

UVA

Nome científico: Vitis vinifera L.

Família: Vitaceae

Outros nomes: Videira, vide, parreira, passas.

Constituintes químicos principais: Ácido málico, flavonoides (flavonas e flavonóis), quercetina, glucoronida, glicosídeos, glucoronídeos, vitamina C, resveratrol, tartarato de potássio.

Indicações comprovadas: - O extrato das folhas da Vitis vinifera atua como anti-inflamatório e poderoso antioxidante, por ser esta planta rica em flavonoides, protegendo as paredes dos vasos sanguíneos, melhorando a circulação e também prevenindo as doenças cardiovasculares, segundo pesquisas realizadas na França. 
No Brasil já é comercializado o fitoterápico ANTISTAX (Registro MS/ANVISA nº 1036701630031), importado da França, produzido a partir do extrato das folhas da Vitis vinifera, sendo indicado inclusive nos distúrbios da circulação sanguínea em pés, pernas e coxas, um problema muito comum em cirurgiões-dentistas.
- O componente resveratrol inibe a formação de coágulos, evitando o aparecimento de varizes e varicosidades sublinguais, por exemplo.


  Rogério Cavalcante

Foto: Ainda existe um grupo de cientistas e pesquisadores brasileiros que discordam da criação da especialidade odontológica FITODONTOLOGIA, alegando que no Brasil há poucos produtos comercializados em farmácias, drogarias e lojas especializadas, obtidos a partir de plantas medicinais. Alegam ainda que no Brasil há pouca pesquisa nessa área e que são poucas as plantas medicinais brasileiras com estudo de sua comprovação científica.

Ora, faço parte do grupo que defende há anos a criação da FITODONTOLOGIA como especialidade, uma vez que a compreendemos como uma matéria de abrangência mundial, ou seja, ninguém quer ser fitoterapeuta para aplicar somente as plantas medicinais brasileiras, ou norte-americanas, ou chinesas, ou indianas, etc. A Fitodontologia deve ser entendida como uma parte da Fitomedicina que utiliza de forma científica e segura as plantas medicinais, as drogas vegetais ou os produtos farmacológicos delas extraídos para prevenir e tratar doenças do campo de ação da odontologia. Devemos saber que, nesse sentido, embora a quantidade de produtos fitoterápicos produzidos no Brasil e o número de pesquisas em nosso país nessa área ainda seja muito pequeno, a fitoterapia já está muito avançada em países como a Alemanha, França, Estados Unidos, Japão, Canadá, China, Índia, etc. Já existem vários fitoterápicos, fitofármacos, semissintéticos nas prateleiras das drogarias do mundo inteiro, disponíveis para a prescrição dos profissionais que podem prescrevê-los. A quantidade de pesquisas com plantas medicinais nesses países citados é imensa e já existem inúmeros medicamentos obtidos a partir de plantas medicinais que já tiveram seus estudos pré-clínicos e clínicos comprovados cientificamente.

 O medicamento ANTISTAX é um exemplo. O livro FITODONTOLOGIA, portanto, aborda apenas as plantas medicinais que já dispõem de comprovação científica de seus usos na odontologia. Nele citamos inúmeros medicamentos já existentes no mercado nacional, norte-americano, alemão, chinês, indiano, francês, japonês, canadense, russo, dentre outros. Os medicamentos comercializados no Brasil vêm, inclusive, com o seu número de registro no MS/ANVISA.

 Contribuímos, assim, mais uma vez, para a evolução da Odontologia em nosso país.

 ANTISTAX
 O PODER DA UVA

 UVA

 Nome científico: Vitis vinifera L.

 Família: Vitaceae

 Outros nomes: Videira, vide, parreira, passas.

 Constituintes químicos principais: Ácido málico, flavonoides (flavonas e flavonóis), quercetina, glucoronida, glicosídeos, glucoronídeos, vitamina C, resveratrol, tartarato de potássio.

 Indicações comprovadas: - O extrato das folhas da Vitis vinifera atua como anti-inflamatório e poderoso antioxidante, por ser esta planta rica em flavonoides, protegendo as paredes dos vasos sanguíneos, melhorando a circulação e também prevenindo as doenças cardiovasculares, segundo pesquisas realizadas na França. No Brasil já é comercializado o fitoterápico ANTISTAX (Registro MS/ANVISA nº 1036701630031), importado da França, produzido a partir do extrato das folhas da Vitis vinifera, sendo indicado inclusive nos distúrbios da circulação sanguínea em pés, pernas e coxas, um problema muito comum em cirurgiões-dentistas.
- O componente resveratrol inibe a formação de coágulos, evitando o aparecimento de varizes e varicosidades sublinguais, por exemplo.

 Daqui do coração da Amazônia,

 Rogério Cavalcante
 
 
 
 
   




  Site Map